A maior mudança na identidade visual do YouTube em 12 anos

Se você acessou o YouTube nos últimos dias percebeu uma mudança no logo e layout do site. Lançado em 2005, o YouTube é, junto com o Google e o Facebook, um dos sites mais acessados, sendo usado por mais de 1.5 bilhões de pessoas no mundo. E nesses 12 anos nunca havia sido feita uma mudança tão significativa na identidade visual da marca quanto a anunciada na última quarta-feira (29) através do blog do Google.

O antigo logo era representado pela grafia do “You” ao lado de “Tube” dentro de um tubo vermelho. Porém, hoje em 2017 não fazia mais sentido um “tubo” dentro de outro tubo, visto que o site deixou de ser oferecido apenas para desktop há muito tempo e possui versões para praticamente qualquer dispositivo, como smartphones e tablets, enquanto os monitores de tubo tornaram-se obsoletos.

Essa foi a justificativa apresentada por Christopher Bettig, diretor de arte do YouTube, para anunciar o mais novo logo do YouTube: “É uma evolução, não uma revolução”, comentou. A intenção foi afastar a atenção do “tubo” e focar no usuário.

Além disso, a marca expandiu suas ofertas com o YouTube Kids, Red, TV, Music, Gamming, Escola de Criadores de Conteúdo e YouTube para Artistas, e precisavam de um elemento de união que acompanhasse todo esse crescimento. “Nós queremos construir uma linguagem visual que seja fácil para as pessoas reconhecerem”, explica Betting.

Embora tenha sido a maior mudança do site nos últimos tempos, é uma mudança bastante sutil. O diretor de arte da marca conta que, apesar de inicialmente pensarem sobre a criação de um logo inteiramente novo, eles optaram por manter a simplicidade. Para tanto, foi realizado uma pesquisa onde foi concluído que a maioria dos usuários reconhecia facilmente o símbolo do play como sendo do YouTube. Então ao invés de criar um novo símbolo, por que não usar um já reconhecido? A ideia é associá-lo definitivamente a marca.

Por isso, o tubo vermelho foi retirado e no seu lugar o famoso botão play do YouTube aparece à frente …

Clique aqui para ver a publicação completa

Deixe uma resposta